O desafio nosso de cada dia - como fazer dos conflitos algo positivo para o desenvolvimento de nossas crianças?

por Daniela Munerato, Coordenadora Pedagógica F1, e Marília Costa, Diretora Pedagógica, da Escola Viva

É frequente que as pessoas entendam o conflito como algo negativo, ruim… Algo que queremos evitar porque é muito desconfortável e ameaçador!

Ao mesmo tempo, todos nós reconhecemos que os conflitos também podem nos ensinar de inúmeras maneiras! Por meio deles, por exemplo, podemos aprender sobre as diferentes formas de ser e de pensar! 

É verdade que não é nada confortável conviver com pessoas que são muito diferentes de nós, ou simplesmente que têm ideias, ou formas de reagir às situações e de expressar sentimentos  muito distintas das nossas próprias. 

Contudo, é essa diversidade que traz os desafios que nos impulsionam a aprender sempre mais a respeito de nós mesmos e dos outros, e nos permitem conviver socialmente de forma saudável.

Mas, então porque muitas vezes o conflito se transforma em confronto, embate, com reações impulsivas, submissas ou agressivas? 

Geralmente, é porque não desenvolvemos habilidades e competências para conviver de forma saudável em um mundo complexo e diverso. Falta controle interno e há pouca autonomia moral, ou seja, as regras e valores não estão internalizados a ponto de regularem o comportamento e produzirem relações interpessoais produtivas e respeitosas.

Segundo os pesquisadores da Collaborative for Academic, social and emotional Learning (CASEL), ao longo do crescimento humano, desenvolvemos competências e habilidades sociais e emocionais para lidar com as diferentes situações da vida e, aos poucos, vamos aprendendo a:

  • Reconhecer as próprias emoções, valores, limitações (autoconhecimento);

  • Perceber a emoção do outro, aceitar sentimentos diferentes dos seus, apreciar a diversidade e respeitar o próximo (consciência social);

  • Identificar, analisar e refletir sobre problemas, tendo atitudes baseadas em preceitos éticos e morais (decidir de forma responsável);

  • Formar parcerias produtivas pautadas no compromisso, na cooperação, na comunicação efetiva, na flexibilidade para negociar acordos (habilidades de relacionamento);

  • Autogerir o comportamento e as emoções, com organização, humor e criatividade (autocontrole).

Esse desenvolvimento resulta da interação entre inúmeros fatores, que podem estar  relacionados à nossa genética ou aos aspectos biológicos, como questões estruturais do cérebro, hormônios, etc, ou ainda a fatores psicológicos, sociais e culturais. 

A história de vida de cada um influencia de forma positiva ou negativa o desenvolvimento social, emocional e moral. 

Portanto, a família e a escola têm enorme responsabilidade nesse complexo processo de crescimento. 

Como podemos ajudar? 

Há inúmeros estudos sobre isto, mas vale aqui destacar alguns aspectos:

  1. Desde pequenos, é importante que as crianças sejam estimuladas a verbalizar o que pensam e sentem, assim como a dialogar com seus colegas e adultos de sua convivência para desenvolver empatia, reconhecendo nos outros sentimentos e emoções; 

  2. Também é fundamental valorizar as potencialidades e os êxitos individuais e coletivos, para que crianças e jovens desenvolvam um autoconceito positivo;

  3. É necessário que tenham liberdade para tomar decisões, mas precisam simultaneamente entender que há responsabilidades e limites envolvidos nesse exercício de autonomia;

  4. O diálogo e a reflexão devem ser práticas constantes, pois favorecem a compreensão das regras e valores que regulam a convivência social, o desenvolvimento de controle interno, da cooperação, do cuidado de si e dos outros, e do raciocínio crítico.

Para concluir, é importante enfatizar que o conflito sempre existirá, é saudável e necessário para o desenvolvimento humano. Não deve ser evitado! No entanto, aprender a lidar com as situações de conflito requer ações intencionais e constantes, por parte das famílias e das escolas, tendo como foco o desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais. 


Baixe o ebook: A importância da excelência em inglês na escola

 


Educação Infantil
Amarelinho, Amarelo e Laranja
(1 a 4 anos)

Rua Professor Vahia de Abreu, 336
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-002

Educação Infantil
Azul e Vermelho (4 a 6 anos)
Ensino Fundamental
1º ao 3º ano (6 a 9 anos)

Rua Professor Vahia de Abreu, 664
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-003

Ensino Fundamental
(4º ao 9º ano)
Ensino Médio
(1ª a 3ª série)

Rua Professor Vahia de Abreu, 488
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-002

UMA ESCOLA DO GRUPO

 
Política de privacidade

Fale conosco

escolaviva@escolaviva.com.br

(11) 3040-2250

ACOMPANHE NOSSAS
REDES SOCIAIS: