Dia Mundial da Infância

por Kátia Keiko Matunaga

Coordenação Pedagógica Infantil da Escola Viva 

A imagem mostra uma criança com uma máquina fotográfica.

“Nossa, que legal essa construção!

 Cuidado! Essa é uma armadilha para pegar os vilões!”

 

“Ela não quer ser a nossa mãe e ninguém quer.

 É porque eu tô ocupada.

 Então a mãe tava trabalhando, e eu era a babá.”

 

“Não pode entrar. Aqui tem regras.

 Esse restaurante é só de crianças, e as panelas estão muito quentes.”

A imagem mostra 3 meninas brincando de fazer comida.

O Quintal: um mundo de brincadeiras

Nas minhas voltas diárias pelo Quintal, sempre me deparo com um mundo de brincadeiras, contextos e situações de faz de conta. Mundos de fantasia imaginados e vividos pelas crianças. 

Essas brincadeiras acontecem com os mais diversos materiais (não necessariamente brinquedos) e em todos os cantinhos possíveis. 

Há também as brincadeiras coletivas, os desafios corporais, as voltas e complexas manobras no nosso “famoso” jipe vermelho… 

A imagem mostra 3 crianças brincando em um jipe vermelho.

Há ainda os que estão ocupados em juntar folhas, flores, os que contemplam… 

A imagem mostra parte do rosco de uma criança assoprando uma flor azul e branca.

Nossas memórias de brincar

Quem de nós não traz alguma memória gostosa da infância desse tempo de brincar? 

Quais eram as nossas brincadeiras preferidas? Onde aconteciam? Com quem? 

Em geral, nas formações de professores, quando fazemos esse tipo de levantamento, aparece sempre uma riqueza infinita de exemplos de experiências, situações e emoções. 

Poucas vezes essas lembranças estão associadas a brinquedos, normalmente estão relacionadas a  pessoas, espaços e contextos. 

A imagem mostra um adulto e uma criança brincando com um barquinho de papel em uma poça de água.

A importância do faz de conta

Envolvidas pelo faz de conta, as crianças revivem e elaboram situações do mundo adulto. 

Nos jogos, as crianças aprendem o valor das regras; no Quintal, negociam com os amigos e amigas a ocupação do espaço, a utilização dos brinquedos... 

A mediação do adulto está sempre presente, mas elas têm oportunidades para buscar resoluções por elas mesmos diante dos conflitos.

Nos desafios corporais, elas desenvolvem a consciência corporal e aprimoram  o domínio motor. 

Mas tudo isso é apenas o jeito adulto de ver o brincar. 

A imagem mostra 2 meninas brincando, de ponta cabeça, em um trepa-trepa.

A criança leva a brincadeira a sério

Quando brincam as crianças não pensam em nada disso! 

Elas estão inteiras e imersas. 

Vivem o momento com toda intensidade e seriedade que ele exige! Por isso essas experiências deixam marcas que permanecem pela vida toda…

Segundo o pediatra e psicanalista inglês W. Winnicott, na obra "O Brincar e a Realidade"

“É no brincar e talvez apenas no brincar que a criança ou o adulto fluem sua liberdade de criação e podem utilizar sua personalidade integral e é somente sendo criativo que o indivíduo descobre o eu.”

A imagem mostra um menino brincando com dinossauros de plástico em um poça de lama.

Pelo direito de brincar

Construímos cotidianamente uma escola em que a criança tem preservado o direito de brincar  e de ser criança. 

O direito à fantasia, ao devaneio. 

O direito de criar, conviver e se divertir. 

E também de discordar, se frustrar e até de se aborrecer. 

Na brincadeira para valer, nem sempre dá tudo certo! E faz parte da dinâmica o “ficar de mal” e o fazer as pazes.

A imagem mostra mãos brincando com carrinhos de brinquedo.

A infância vivida todos os dias

Construímos uma escola em que as infâncias (que são múltiplas, assim como são as crianças) são respeitadas e vividas todos os dias

A imagem mostra uma menina de máscara com um pião na mão.

Dia Mundial da Infância

No dia 21 de março, comemoramos o Dia Mundial da(s) Infância(s). 

A iniciativa para a criação desta data foi do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), com o objetivo de conscientizar pais, mães, responsáveis e governantes sobre a importância de garantir uma boa formação social, educacional e de valores para as crianças.

Diferente do Dia das Crianças, a comemoração não tem cunho comercial, mas nos convida à reflexão sobre o tema. 

A imagem mostra uma criança segurando um carrinho de brinquedo e outras 2 crianças ao fundo.

Pelo direito de brincar

Nesse dia, em que infelizmente nos lembramos de tantas crianças cujo direito de brincar foi  demovido pelos mais diversos motivos, a Escola Viva reassegura seu compromisso com a escuta e a valorização das brincadeiras das nossas crianças. 

Seja nas armadilhas para os vilões, nos cuidados das mamães e filhinhas ou nos espaços em que adultos não entram. 

E, quando entrarem, que seja com todo o respeito que nossas crianças merecem.

A imagem mostra uma criança brincando em um pano amarelo.


Baixe o ebook:  Guia de sugestões de atividades educacionais infantis

Siga as redes sociais da Escola Viva -  Instagram, Facebook e Linkedin

Leia mais no blog da Escola Viva

 


Educação Infantil
Amarelinho e Laranja
(1 a 4 anos)

Rua Professor Vahia de Abreu, 336
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-002

Educação Infantil
Azul e Vermelho (4 a 6 anos)
Ensino Fundamental
1º (Verde) e 2° ano (6 a 8 anos)

Rua Professor Vahia de Abreu, 664
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-003

Ensino Fundamental
(3º ao 9º ano)
Ensino Médio
(1ª a 3ª série)

Rua Professor Vahia de Abreu, 488
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-002

UMA ESCOLA DO GRUPO


Política de privacidade

Fale conosco

escolaviva@escolaviva.com.br

(11) 3040-2250

ACOMPANHE NOSSAS
REDES SOCIAIS: