A importância da volta às aulas presenciais para as crianças

Depois de muitas dúvidas enfrentadas em 2020, a Escola Viva preparou-se muito para abrir suas portas novamente. Saiba por que a volta às aulas presenciais é tão importante para as crianças. 

A importância da volta às aulas presenciais na escola

Por Bianca Laurino

Desde o início da pandemia, em março de 2020, muitos desafios estão sendo enfrentados. 

Uma série de costumes teve que ser rapidamente alterada e o distanciamento social se impôs como uma necessidade. Em função disso, o meio digital tornou-se ainda mais presente na vida de todos e todas.

Para as escolas, isso representou o fechamento temporário dos espaços físicos e, consequentemente, a adoção de um conjunto diferenciado de práticas pedagógicas, que fizessem sentido nas interações à distância. Meses se passaram sem que fosse possível saber, ao certo, quanto tempo seria preciso manter as aulas remotas.

Na Escola Viva, o ambiente sempre foi parte fundamental das aprendizagens, principalmente na Educação Infantil. Durante esse importante período do desenvolvimento humano, muitas descobertas são estimuladas pelos espaços, bem como por diferentes materiais e objetos, que ajudam as crianças a investigar e exercitar suas maneiras de ser, estar e pensar o mundo.

Muitas soluções criativas foram inventadas pela equipe da Viva para que o ensino remoto não implicasse grandes perdas no processo de formação dos alunos e alunas. Contudo, a falta de contato presencial restringiu as trocas de experiências, fundamentais no convívio escolar. 

Camilla Schiavo, diretora pedagógica da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I da Escola Viva, conta que essa perda foi ainda mais intensa para as crianças. Além da maior dependência dos adultos para conseguir participar das atividades remotas, os pequenos foram privados de muitas das dinâmicas que faziam parte de suas rotinas na escola.

Na infância, muitos dos aprendizados são frutos das brincadeiras. Aprende-se não apenas com as professoras e professores, dentro de sala de aula, mas também na interação com os pares, em diferentes momentos e lugares. Dançar, cantar, brincar ao ar livre, alimentar os animais, observar as plantas… Tudo se constitui em aprendizados potenciais, que ganham significado a partir do olhar pedagógico atento.

O convívio com o outro, a troca e o compartilhamento de experiências são essenciais para o desenvolvimento, individual e coletivo. Até mesmo os conflitos gerados pela convivência e os impasses cotidianos, como disputas e pequenos desentendimentos com colegas, são disparadores para a aprendizagem. A própria necessidade de construir soluções para esses conflitos ganha outros contornos quando as crianças estão entre iguais. 

As propostas lúdicas são poderosos instrumentos para despertar o desejo dos pequenos em conhecer o mundo. Isso porque o estímulo dos sentidos é um dos grandes incentivos do aprender. Estar em diferentes ambientes potencializa a diversidade de elementos a serem explorados por meio do tato, do olfato, do paladar, da audição e da visão.

Ao longo de 2020, diversas estratégias foram criadas para que as próprias casas dos estudantes se tornassem ambientes de aprendizagem. A simples contagem de portas, por exemplo, transformou-se em uma tarefa divertida, que depois era compartilhada e comparada entre os colegas. 

Com a permissão da retomada das atividades presenciais, ainda que parcialmente, novos desafios e questionamentos surgiram. Camilla conta que, apesar dos impasses iniciais, as crianças foram aos poucos se adaptando, compreendendo a necessidade de levar os novos combinados de convivência a sério e até mesmo ajudando a cuidar umas das outras.

Ao mesmo tempo, novos temas de estudo começaram a ser descobertos pelos alunos e alunas. Como brincar de bolinha de sabão sem assoprar? É possível usar instrumentos que solucionem esse problema? Como podemos produzi-los? 

Esse tipo de situação passou a traduzir-se em curiosidade e, consequentemente, em investigações, guiadas através do olhar das próprias crianças. Sem romantizar as dificuldades que foram enfrentadas, os pequenos passaram a saber aproveitá-las, em função da construção de novos aprendizados – o que o contato presencial permite que aconteça com maior naturalidade e cumplicidade entre eles.

Atualmente, ainda é preciso lidar com muitos desafios e questionamentos, para os quais nem sempre há respostas prontas e assertivas. A grande diferença para o início do ano passado, porém, é que desta vez foi possível se preparar. 

Enquanto escola, a Viva sabia que seria preciso continuar realizando uma série de alterações, tendo em vista os novos contextos que se constituíram. Além de todas as alterações estruturais que foram feitas nas quatro unidades da escola, o estabelecimento de novos protocolos de biossegurança foi realizado de maneira muito atenta e cuidadosa. 

A partir da Consultoria do Sírio-Libanês e com a ajuda dos Grupos de Trabalho e do Comitê Central formados no interior da escola (que contaram com a participação de professores, familiares, da equipe pedagógica e administrativa), foi elaborado um Plano de Retorno às aulas presenciais na Escola Viva

As trocas realizadas com outras oito escolas do grupo Bahema Educação também foram de extremo valor, possibilitando que muito se aprendesse com os erros e acertos de outras instituições. 

A certeza de que todos os profissionais que trabalham na Viva estão preparados para receber os alunos e alunas dá a segurança necessária para que as portas da escola sejam abertas novamente. Os quintais, as áreas externas e os amplos espaços de salas de aula garantem a boa distribuição dos estudantes, que podem conviver, em número reduzido, sem aglomerações. 

Sabendo que nada supera o encontro no espaço escolar, mas entendendo a importância de respeitar os limites possíveis deste convívio agora, em 2021, a Escola Viva continuará com o modelo híbrido de ensino, combinando aulas presenciais e a distância. 

Sinta-se à vontade para conhecer os novos protocolos e arranjos físicos da Viva. Agende sua visita e venha fazer parte de nossa comunidade escolar! 


Educação Infantil
Amarelinho e Laranja (1 a 3 anos)

Rua Professor Vahia de Abreu, 336
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-002

Ensino Fundamental
3º ao 7º ano

Rua Professor Vahia de Abreu, 488
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-002

Fale conosco

escolaviva@escolaviva.com.br

(11) 3040-2250

UMA ESCOLA DO GRUPO


Política de privacidade

Educação Infantil
Azul e Vermelho (4 e 5 anos)
Ensino Fundamental – 1º(Verde) e 2 ano (3 a 8 anos)

Rua Professor Vahia de Abreu, 664
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04549-003

Ensino Fundametal
8° e 9° ano

Rua Casa do Ator, 836
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04546-002


Ensino Médio
1ª a 3ª série

Rua Casa do Ator, 836
Vila Olímpia, São Paulo, CEP: 04546-002

ACOMPANHE NOSSAS
REDES SOCIAIS: